quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Lá se vai 2013...

Estamos no fim de 2013, próximo ao Natal e ao meu aniversário de 28 anos de vida.... Me orgulho dos anos já vividos, pois amadureci em meio a muitas lutas. E quem não tem lutas né?
Hoje, sei que não existe felicidade constante e que a tristeza também não dura para sempre.... A vida de todos seguem normalmente enquanto seu coração dói ao ponto de parecer que vai explodir, e isso é o justo, significa apenas que nenhuma dor deve ser alimentada e sim superada!
Esse ano descobri amargamente que nenhuma decisão deve ser tomada sem ser avaliada, e medidas extremas não solucionam nada na vida. Ponderar e tolerar são palavras importantes na busca pela tranquilidade.
Descobri que gosto muito de ficar sozinha, mas que sorrio muito quando tenho amigos por perto, por isso eles são fundamentais e por eles deixo de lado minha solidão vez ou outra. (Devo ter alma de poetiza, rs).
Descobri que posso me dar ao direito de assistir o mundo girar, isso pra mim não é perder tempo. Assistir a vida é me dar tempo para me auto avaliar e ver o que desejo para ela... 
Descobri que não tenho o menor desejo de ser uma mulher bem sucedida no mercado de trabalho, mas que amo o que faço e isso me trás sucesso. Mas também descobri que não gosto de sair de casa todos os dias e seguir a rotina como todo mundo, mas isso é errado! Afinal, quem sou eu para burlar o sistema?
Descobri que meu rosto nunca engana ninguém, é incrível, porque às vezes tento me esconder dentro de mim, mas as pessoas me olham e perguntam porque estou tensa, ou tão alegre... Isso é um grande problema nesse mundo hipócrita!
Descobri que 50%, ou até mais, das pessoas com quem já convivi usam a filosofia TSR - tirar o seu da reta, e eu abomino isso profundamente! Aprendi que odiar não faz bem, mas não odiar é uma tarefa difícil e necessária se desejo imitar Jesus...
Descobri que fiz muitas mudanças em minha vida, mas que no fundo, até agora não fiz nada como realmente queria. Ah, e se o tempo só existe porque o criamos para controlarmos nossas vidas, qual o sentido de vivermos todos iguais? O sistema diz que você deve estudar, trabalhar, casar, e fazer tudo isso com empenho para ser feliz.... A vida é padronizada né? Ainda preciso descobrir se isso vale a pena....
Descobri que quando dói fisicamente, as vezes é só porque está doendo emocionalmente. Somatizar é algo perigoso!
Aprendi que detesto qualquer tipo de cobrança. Eu amo do meu jeito, observo do meu jeito, e estou junto do meu jeito! Me aceita assim?
Descobri que 90% das pessoas só gostam da gente como atendemos os interesses delas... 
Também aprendi a palavra RESILIÊNCIA, que acho que de tudo que descobri e aprendi é a única coisa que me será verdadeiramente útil em 2014....



quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Habilitação para deficientes da Região dos Lagos:

Conforme Resolução 80, de 19 de novembro de 1998, do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAN), a pessoa com deficiência poderá obter ou renovar sua Carteira Nacional de Habilitação, desde que seja considerado apto nos exames de aptidão física e mental, e nos exames de avaliação psicológica.

Informações: Central de Atendimento do Detran: 3460-4040 / 3460-4041       
Site: www.detran.rj.gov.br

Observações: Para a pessoa com deficiência física, o exame de sanidade física e mental do candidato será realizado por Junta Médica Especial. (Ou seja, os exames psicológicos e físicos são feitos no DETRAN Central, e a perícia para exigências de adaptações na Gávea).


                  Cidadania sobre Rodas

É o Programa do Governo Estadual para pessoas com deficiência física que desejem obter sua primeira habilitação, na categoria B, sem nenhum custo. O curso será destinado preferencialmente a candidatos de baixa renda.

Vale a pena se cadastrar! Mas, após a prova teórica é necessário se informar de quanto tempo terá que aguardar para iniciar as aulas práticas para que seu processo não vença, tendo condições pague uma autoescola para fazê-las, já que a fila costuma ser enorme no DETRAN.

Como participar do Programa:

Dirija-se ao DETRAN Central com os documentos necessários para dar entrada no processo administrativo.
Detran Central: 
Av. Presidente Vargas, 817 acesso 5 térreo — Centro — Rio de Janeiro — RJ
Horário de funcionamento: 9h às 16h.
Informações: Detran Central: 2332-0082  Site: www.detran.rj.gor.br
-O meu atendimento foi rápido e eficiente.

Observações:Os exames médicos e psicológicos serão realizados gratuitamente nos postos do Detran. As aulas teóricas e práticas serão feitas nos Centros de Formação de Condutores (CFCs, antigas auto-escolas) parceiros do programa, sem nenhum custo. Pra nós que moramos em Araruama, é preciso ir à Sônia Auto Escola em Cabo Frio, para as aulas teóricas (lá não tem banheiro acessível). E, as aulas práticas são no Rio de Janeiro, em Guadalupe, no quartel dos Bombeiros.

Documentos: Original e cópia da Identidade, Original e cópia do CPF, Original e cópia do comprovante de residência, Original e cópia do comprovante de rendimentos (contra-cheque ou declaração de imposto de renda), Laudo médico original com o CID – Código Internacional de doenças, fornecido pelo SUS — Sistema Único de Saúde.

Infelizmente ainda não temos nenhuma autoescola que nos atenda na Região dos Lagos para as aulas práticas, em Campos é a mais próxima. A que tínhamos em Icaraí vendeu o veículo por falta de procura, já que o DETRAN lançou o Programa Cidadania Sobre Rodas. Esse programa funciona muito bem até chegar o momento de iniciar as aulas práticas, pois normalmente chamam para as aulas no mês que vence o processo, e se conseguir terminá-las não tem chance de aulas extras ou uma 2ª tentativa de fazer a prova (seu processo vencerá e terá que reiniciá-lo). Eu nem consegui terminar antes que o processo vencesse, porque o carro quebrou, mas, como não posso pagar o valor absurdo que as autoescolas cobram para dar aulas às pessoas com deficiência reiniciei o processo pelo mesmo Programa.


Deficiente x Sociedade: está na hora de sermos um só grupo!

Como é difícil quebrar conceitos pré-estabelecidos de ambos os lados: a pessoa com deficiente x sociedade.

A pessoa com deficiência precisa acreditar que a sociedade pode ser inclusiva e justa, ou então, pelo que lutamos?

E, a sociedade precisa entender que só haverá inclusão quando existir acessibilidade!

Aos meus amigos de rodas, deixo um recado importante: precisamos tirar da sociedade a ideia de que queremos assistencialismo, temos que compreender que o que precisamos é de nossos direitos atendidos para que possamos conquistar uma vida de qualidade com as mesmas chances dos demais cidadãos!


Queremos trabalhar, estudar, casar, enfim, ter uma vida plena e realizada como todos desejam para si! Não há porque estarmos excluídos, somos todos de um só grupo: humanidade!